quarta-feira, agosto 06, 2003

cidade adormecida

Dormem corpos,
adormecidos pelo calor da noite,
apenas eu fico acordada,
demasiadamente acordada...
algo me impede de fechar os olhos,
mas o pior é o pensamento,
o subito medo que ocorre,
o silencio que impera,
impenetravel, mudo,
sinto o sabor das memórias,
elas próprias me fazem sonhar com realidades,
mas tudo nao passa disso,
uma doce ilusão,
presa a palavras e gestos controlados,
olho a escuridão em volta,
sinto o tempo passar, lento,.................
como se se fosse perder na lua,
sempre ela, feiticeira, bela...
viagens, homens e lugares,
tao longinquos como as palavras que nao escutas,
como o ser que nao alcanço,
como eu, que desejo apenas o príncipe que ilumina as noites,
e aqui estou, encarcerada,
ansiando a libertaçao,
o doce mel do toque nos sentidos,
o "eu" reprimido,
um desejo outrora sentido por iluminados,
mas sou apenas mais uma:
alguem que nao se mostra,
que nao se ve,
tal como aqui, banhada pelo escuro,
e pelo borburinho distante de uma cidade adormecida...

Um comentário:

diogo marcelino disse...

simplesmente espetacular...