domingo, junho 01, 2008

Desacreditada

Desacreditas a minha esperança em nós.
O meu esforço não chega ao teu pesar lamurioso e inoportuno.
Começa a não chegar-me, somente, a tua actividade lenta e vã,
espectando que eu me cegue, e seja a solução.
Começa a não chegar...
Já não despertas muito interesse em mim que não o da mágoa e desilusão.
Deixei de esperar algo de ti...
[atrasaste o nosso relógio, e já não tenho forças para o acertar.]
A palavra que se impunha ser dita no dia de hoje, não ousaste pronunciá-la.
E assim perdes mais um pouco de mim...
a cada dia, a cada instante..
a cada erro,a cada ausência...
O teu erro, a minha mágoa. a tua ausência, a minha desilusão
previamente anunciada e esquecida.
Ocultas-me quem foste, não te revejo hoje em meu sentir...e o quanto dói este sentir

7 comentários:

m@tix disse...

Uma ruptura crescente que vens presagiando....

Anônimo disse...

Só te falta um pouco de M.F., ou talvez nao.... lol ;)* NM

Anônimo disse...

É assim que começa a chegar ao fim uma relação... que já n me parece saudável. Normalmente estas alturas coincidem com o despertar de nós mesmos, o início de uma maravilhosa viagem a nós próprios... quando os outros já não nos prendem... Boa Sorte e Boa Viagem
(http://naohalugarparaoamor.blogspot.com/)

LEEH disse...

oi fipa
puxa..ando interessado em musicar algo teu..adorei "ressaca tua" e "desacreditada" são lidosn..aliás tua escrita é ótima
topa?

beijo! leeh.
"teu fã" rss

Filipa Epifânio disse...

Muito bom...mostra grande visão e capacidade de reflectir, de facto...

*

O Profeta disse...

Sou!? Serei apenas um desalinhado?
Pensador fugitivo ao agreste sonho
Uma pedra pensante no meio da ilha
Meio Homem, meio Arcanjo, um ser bisonho


Boa semana


Mágico beijo

Ana Si disse...

optimo ... as always ... gosto-te bonequinha*